ONU critica Israel e Líbano por violar tratado de paz

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, criticou Israel e o Líbano por violarem uma resolução feita em meados de 2006 que acabou com a guerra entre israelenses e o Hezbollah. O secretário-geral sugeriu uma missão independente para investigar as acusações de tráfico de armas na fronteira entre países.Enquanto o governo libanês protesta contra Israel dizendo que os movimentos aéreos violam o tratado de cessar-fogo da ONU, os israelenses rebatem afirmando que está é apenas uma medida de segurança e que o país não quebrou o tratado.Em um relatório ao Conselho de Segurança da ONU nesta quarta-feira, Ban disse que os dois países violaram o tratado firmado em 2006. Israel diz que há tráfico de armas na fronteira entre Síria e Líbano e o Hezbollah afirma que está reconstruindo presença armada na região.Para investigar as declarações, o chefe da ONU sugeriu ao Conselho de Segurança que "uma missão independente monitorasse a fronteira".No dia 14 de agosto de 2006, a resolução 1701 do Conselho de Segurança autorizou o cessar-fogo entre libaneses e israelenses, finalizando um conflito que durava 34 dias. A guerra havia começado pois guerrilhas do Hezbollah atravessaram a fronteira de Israel e mataram três soldados. Em comunicado, Ban disse ainda que caso o tratado não seja respeitado, uma nova reunião do Conselho de Segurança por torná-lo mais severo para os dois países. "Caso não haja comprometimento do Líbano e de Israel em cumprir a resolução, ela poderá ser reavaliada."

Agencia Estado,

15 de março de 2007 | 09h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.