ONU dá aula de português a palestinos que virão ao Brasil

Cerca de cem refugiados obrigados a deixar o Iraque serão recebidos no País

Agencia Estado

04 Julho 2007 | 17h27

As Nações Unidas estão oferecendo aulas de português aos refugiados palestinos que desembarcarão no Brasil a partir de setembro. O País receberá cerca de cem refugiados que foram obrigados a deixar o Iraque e há quatro anos vivem em campos mantidos pela ONU na Jordânia. Mas para evitar a repetição do fiasco dos refugiados afegãos, que abandonaram o Brasil depois de poucos meses no País, a ONU agora prepara um verdadeiro plano de integração dos palestinos, que receberão propostas de trabalho, escola e ainda serão financiados nos dois primeiros anos no Brasil.Os palestinos que serão enviados ao País moravam há duas décadas em Bagdá e, durante o regime de Saddam Hussein, eram protegidos pelo governo local. Mas com a ocupação do Iraque, os palestinos começaram a ser atacados por serem identificados com o antigo regime e tiveram de deixar o país. O Brasil acabou aceitando o pedido para que recebesse parte dos refugiados. A ONU não economiza elogios ao Brasil, apontando que apenas o Canadá e Nova Zelândia até agora haviam aceitado ajudar. Apesar dos elogios, nem todos no governo estavam dispostos a receber os palestinos. Para parte do Itamaraty, a decisão acabaria em parte legitimando a guerra no Iraque, que não recebeu o apoio de Brasília. O governo americano não esconde que foi quem pediu ao Brasil para receber os refugiados. Conhecendo o BrasilSegundo a porta-voz da ONU, Jennifer Pagonis, os palestinos selecionados receberão aulas sobre a cultura brasileira, sobre a língua e informações sobre o País. As aulas vão ser mantidas durante um ano após a chegada dos refugiados, nos estado de São Paulo e Rio Grande do Sul. Funcionários bilíngües também estão sendo contratados pela ONU no País para ajudar os palestinos. Os funcionários receberão instruções específicas sobre a cultura palestina "para garantir uma integração tranqüila" dos refugiados. O temor da ONU é de que ocorra com os palestinos o que ocorreu com 45 refugiados do Afeganistão recebidos pelo Brasil em 2002. Por não se adaptarem ao País, um a um pediu para deixar o Brasil poucos meses depois. De acordo com Pagonis, o primeiro grupo de refugiados deve deixar a Jordânia em meados de setembro. Famílias com crianças e idosos terão prioridade. Alguns dos idosos ainda serão colocados em casas de repouso. No Brasil, ONU garante que refugiados receberão casas mobiliadas e materiais de ajuda por dois anos. As autoridades estudam o perfil de cada um dos refugiados para ver onde podem encontrar trabalho e, em março de 2008, crianças serão colocadas em escolas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.