EFE/RICARDO MALDONADO ROZO
EFE/RICARDO MALDONADO ROZO

ONU demite quatro funcionários por dança com guerrilheiros das Farc

Equipe fazia parte de missão de observação das Nações Unidas, que monitora o cessar-fogo e a entrega de armas do grupo guerrilheiro

O Estado de S. Paulo

05 Janeiro 2017 | 17h55

BOGOTÁ - Uma missão da Organização das Nações Unidas (ONU) que está supervisionando a desmobilização dos guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) demitiu nesta quinta-feira, 5, quatro funcionários que haviam sido vistos dançando com combatentes do grupo em uma festa de ano-novo.

Um vídeo, que mostra homens vestidos com as jaquetas azuis da ONU dançando ao ritmo da salsa com mulheres e homens rebeldes, criou controvérsias ao questionar a neutralidade dos observadores da ONU no país andino, onde as Farc se preparam para entregar as armas após a assinatura de um acordo de paz com o governo do presidente Juan Manuel Santos, que encerra uma guerra de meio século. 

A missão da ONU, que deve coletar as armas das Farc e supervisionar mais de duas dúzias de acampamentos, foi criticada por opositores de direita, que são contra o acordo de paz.

O governo de Santos, que recebeu o prêmio Nobel da Paz pelo acordo com as Farc, também disse que o episódio prejudicou a neutralidade da ONU.

“A missão da ONU na Colômbia tomou a decisão de dispensar três observadores presentes na ocasião e seu supervisor direto”, disse a organização internacional em comunicado, sem nomeá-los. “A missão reitera sua determinação de verificar com total imparcialidade os compromissos de ambas as partes com o cessar-fogo e deposição de armas.”

A embaixadora da Colômbia na ONU, María Emma Mejía, disse que o incidente foi fonte de grande “preocupação e surpresa”. Líderes das Farc argumentam que a reação ao vídeo, que dominou as manchetes locais desde o ano-novo, é exagerada. /REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.