ONU denuncia ataque norte-coreano e exige diálogo

O Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, criticou hoje os disparos de artilharia efetuados pela Coreia do Norte contra uma ilha sul-coreana perto da fronteira marítima entre os dois países. Por meio de nota, Ban qualificou o ataque como "condenável" e exige "contenção imediata" das partes.

AE, Agência Estado

23 de novembro de 2010 | 16h31

"Este ataque foi um dos mais graves incidentes desde o fim (da fase bélica) da Guerra da Coreia (1950-1953)", diz Ban. "Quaisquer divergências devem ser solucionadas por meios pacíficos e pelo diálogo", prossegue o chefe da ONU. A Guerra da Coreia foi travada de 25 de junho de 1950 a 27 de julho de 1953. O conflito armado foi interrompido por um armistício, mas as Coreias do Norte e do Sul jamais negociaram um tratado formal de paz, motivo pelo qual considera-se que os dois países continuam tecnicamente em guerra.

Hoje, a Coreia do Norte disparou dezenas de salvas de artilharia na direção da ilha de Yeonpyeong e adjacências, provocando a morte de pelo menos dois militares sul-coreanos e ferindo 15. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.