ONU denuncia EUA por uso de bombas de fragmentação

Nove civis afegãos morreram ao serem atingidos por bombas de fragmentação lançadas de aviões norte-americanos por meio de um pequeno pára-quedas, confirmaram as Nações Unidas. O uso de bombas de fragmentação vem causando polêmica nos últimos dias e as organizações humanitárias têm feito apelos e chamado a atenção contra a chamada "guerra suja". As bombas de fragmentação são dispositivos controvertidos, que produzem dezenas de "pequenas bombas" e explodem quando atingem a altura de um homem, transformando-se em minas. A porta-voz da ONU em Islamabad, Stephanie Bunker, anunciou que na segunda-feira os aviões norte-americanos lançaram bombas deste tipo na zona de Herat, uma cidade na região central do Afeganistão. Outras bombas caíram em um povoado próximo, que foi inspecionado mais tarde por uma equipe do programa de desativação de bombas antipessoais da ONU. "Oito moradores morreram no mesmo ataque e outro faleceu depois de ter recolhido uma bomba que não havia explodido; 20 das 45 casas do vilarejo foram destruídas", afirmou a porta-voz. As bombas de fragmentação foram projetadas para atacar os carros blindados e a infantaria do inimigo. No entanto, devido à sua escassa precisão, quem paga as conseqüências são os civis. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.