ONU denuncia rapto de crianças em Angola

Sessenta crianças e seus professores foram raptados durante um ataque armado contra um centro juvenil da cidade angolana de Calixto, localizada ao norte de Luanda, sábado passado. De acordo com o exército angolano, cerca de 200 rebeldes da Unita atacaram Calixto, uma cidade 50.000 habitantes, causando a morte de 79 pessoas, entre elas quatro funcionários de grupos de ajuda. Um comunicado da Unicef e da Coordenadoria Humanitária da ONU não informa o motivo do ataque e dos raptos.O centro juvenil, conhecido como Cidade das Crianças, é administrado por organizações não-governamentais de Angola e casa para 100 crianças. Segundo a Unicef, dois raptos similares ocorreram no ano passado no país e "nunca mais se ouviu falar das crianças". O comunicado afirma que crianças raptadas em áreas de conflito são usadas como escravos ou, na pior das hipóteses, abusadas sexualmente ou usadas em combates como soldados ou escudos humanos.O conflito entre o governo angolano e rebeldes da Unita, já resultou no deslocamento de 3,8 milhões de pessoas - cerca de um terço da população - de suas casas, causando uma grande crise humanitárias no país.

Agencia Estado,

08 de maio de 2001 | 15h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.