ONU desvia recursos para ajudar na crise humanitária no Quênia

A Organização das Nações Unidas (ONU)desviou recursos destinados aos refugiados da caótica Somáliapara ajudar o Quênia, país que até menos de duas semanas atrásera visto como um bastião de estabilidade, mas que mergulhou naturbulência política por causa da denúncia de fraude naseleições. Cerca de 500 pessoas morreram e pelo menos 255 mil deixaramsuas casas no Quênia desde o início dos quebra-quebras, após aseleições do dia 27 de dezembro, e as entidades assistenciaistiveram dificuldades para atender os desalojados. "Transferimos 24 toneladas de cobertores e sabão de nossosdepósitos no campo de refugiados de Dadaab no nordeste doQuênia... Agora eles estão aqui em Nairóbi", disse naquarta-feira Emmanuel Nyabera, porta-voz do Alto Comissariadodas Nações Unidas para Refugiados (Acnur). O campo de Dadaab abriga refugiados do conflito na Somália,onde soldados etíopes e do governo combatem insurgentesislamitas. Nyabera afirmou que a agência vai começar a distribuir ossuprimentos para famílias de várias regiões de Nairóbi, onde osquebra-quebras e os assassinatos com motivação políticadeixaram muitos desabrigados. Milhares de mulheres e crianças estão acampadas a céuaberto em Nairóbi, já que gangues de rivais políticos e gruposétnicos incendiaram casas e expulsaram moradores. "Considerando que o Quênia vem abrigando refugiados há anose anos, achamos que era nossa obrigação intervir também nasituação humanitária do Quênia", afirmou Nyabera. O Quênia é usado há muito tempo por agências da ONU comocentro operacional de distribuição de ajuda para os paísesvizinhos. Funcionários da ONU já manifestaram a preocupação deque a crise queniana interrompa uma linha de suprimentos vitalpara assistir centenas de milhares de refugiados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.