ONU deve reduzir assistência a refugiados no Líbano

A Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) deve reduzir mais de um quarto da assistência alimentar para refugiados sírios no Líbano a partir do próximo mês, em parte devido a uma grande falta de financiamento.

AE, Agência Estado

05 Setembro 2013 | 10h40

A partir de outubro, a ACNUR deve tomar medidas de "assistência orientada", enquanto se esforça para ajudar a população de refugiados de, pelo menos, 720 mil pessoas no Líbano.

"Nós vamos mudar para assistência orientada e cortaremos parte dos nossos fundos diretos em parte devido a uma falta de" financiamento, disse a porta-voz da agência, Roberta Russo, à AFP. Segundo a representante, as agências estão fazendo "decisões difíceis" a cada dia sobre como usar o dinheiro para assistência.

Russo disse que a transição de assistência voltada para todos os refugiados para um foco mais centrado em pessoas em estado de maior vulnerabilidade não é rara quando se trata de uma crise.

"Quando você tem um melhor conhecimento da população, como temos agora, somos mais capazes de distinguir entre aqueles que são capazes de sobreviver sem ajuda e aqueles que realmente não podem."

Mas ela reconheceu que a decisão de reduzir a assistência alimentar, o que afetará cerca de 200 mil refugiados - 28% dos que estão no Líbano - também foi impulsionada por falta de fundos da agência.

"Se nós não tivermos um aumento no financiamento, não conseguiremos atender, em geral, nem mesmo as necessidades da população que temos hoje, sem mencionar a população adicional que pode chegar caso o conflito se intensifique." Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
líbanoonurefugiados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.