ONU diz que 73 mil fugiram de área de conflito no Sudão

A ONU informou nesta quarta-feira que 73 mil pessoas já fugiram da violência no Estado sudanês de Kordofan do Sul, após mais de duas semanas de confrontos opondo o Exército do governo a tropas alinhadas ao Sudão do Sul.

REUTERS

22 de junho de 2011 | 19h59

O Sudão do Sul irá se tornar oficialmente independente em 9 de julho, algo que Cartum já aceitou. Mas disputas ao longo da mal definida fronteira vêm gerando tensões, junto com questões como a divisão da dívida nacional e a gestão dos recursos petrolíferos.

Kordofan do Sul é um Estado petrolífero do norte, na fronteira com o sul. O conflito começou a partir de 5 junho e se agravou, incluindo agora artilharia e aviões do norte, que diz estar combatendo uma rebelião armada.

O Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários disse que Kadugli, a capital estadual, e seus arredores tiveram um período de trégua desde domingo, mas que escaramuças continuam sendo registradas em todo o Estado.

"Pelo menos 73 mil pessoas foram inicialmente deslocadas em localidades centrais e orientais do Estado de Kordofan do Sul como resultado dos combates", disse a entidade, citando cifras do Crescente Vermelho sudanês, a Comissão de Ajuda Humanitária e de agências da ONU em Kadugli. "Algumas dessas pessoas já regressaram para suas casas."

(Reportagem de Alex Dziadosz)

Tudo o que sabemos sobre:
SUDAOFUGA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.