ONU diz que ataque à Síria vai aumentar violência

Ban Ki-moon pede que resultado de amostras do ataque em Damasco seja submetido ao Conselho de Segurança

AE, Agência Estado

03 de setembro de 2013 | 15h52

NAÇÕES UNIDAS - O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-Moon, advertiu que qualquer ação "punitiva" contra a Síria em resposta ao recente ataque com armas químicas pode aumentar a violência no país em guerra civil. Ban também afirmou que a responsabilidade por determinar se armas químicas foram usadas na Síria são da ONU.

O secretário-geral não disse quando as análises laboratoriais das amostras coletadas pela equipe de investigadores da ONU ficarão prontas, mas afirmou que seus resultados devem ser submetidos ao Conselho de Segurança. "Este é meu apelo", afirmou ele.

Ban também alertou nações como os EUA e França de que o ataque à Síria é legal apenas para autodefesa, como determina a ONU, ou se for aprovado pelo Conselho de Segurança. "Devemos evitar aumentar a militarização no conflito e revitalizar a busca por uma solução diplomática", afirmou Ban. "Precisamos considerar o impacto de uma intervenção militar", que segundo ele pode aumentar a violência.

Rússia e China usaram seu poder de veto dentro do Conselho de Segurança várias vezes para ações contra o regime do presidente sírio, Bashar Assad.

O presidente Barack Obama recebeu nesta terça-feira apoio de líderes do Congresso dos EUA para um ataque à Síria.

Mais conteúdo sobre:
SíriaBan Ki-MoonONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.