ONU diz que enchentes isolaram cerca de 800 mil no Paquistão

Regiões só são alcançadas via aérea; entidade pede mais helicópteros

Associated Press

24 de agosto de 2010 | 14h16

ISLAMABAD - Aproximadamente 800 mil pessoas foram isoladas por conta das enchentes no Paquistão e estão em regiões que só podem ser alcançadas por helicópteros, informou a Organização das Nações Unidas (ONU) nesta terça-feira, 24, ao mesmo tempo em que pediu mais helicópteros para levar água, alimentos e remédios para essas áreas.

 

Veja também:

linkRecuperação deve levar anos, diz presidente

linkPaquistão deve crescer entre 0% e 2%

mais imagens Galeria de fotos: Chuvas no Paquistão

 

"As enchentes são um desafio logístico sem precedentes e requerem um grande apoio da comunidade internacional", disse John Holmes, subsecretário-geral de assuntos humanitários da ONU.

 

Os EUA já acionaram pelo menos 18 helicópteros que realizam missões regulares de ajuda, mas a ONU disse que seriam necessários pelo menos mais 40 aeronaves de grande capacidade para que as 800 mil pessoas isoladas no país recebam auxílio.

 

Dezenas de milhares de paquistaneses fogem das enchentes. Cerca de 1.600 pessoas morreram e quase 17 milhões foram de alguma forma afetadas, segundo dados da ONU e do governo paquistanês. A entidade internacional pediu US$ 460 milhões para ajudar as vítimas do país. A Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que as doenças são a principal ameaça no momento.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãochuvasenchentesONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.