ONU diz que enviado não foi sequestrado na Crimeia

O vice-secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Jan Eliasson, negou relatos feitos por autoridades ucranianas de que um enviado especial da ONU teria sido sequestrado na Crimeia.

Agência Estado

05 de março de 2014 | 15h33

Eliasson disse que o enviado especial Robert Serry sofreu ameaças de um grupo de 10 a 15 homens quando estava saindo da sede naval da Crimeia, mas que ele não foi sequestrado. Eliasson disse que Serry não podia se mover porque seu carro fora impedido de sair do lugar e que ele saiu do veículo e começou a andar.

O vice-secretário-geral, que está na capital ucraniana, Kiev, falou com os jornalistas na sede da ONU em Nova York por telefone e afirmou que havia conversado com Serry 20 minutos antes.

Segundo ele, "Serry está em bom estado físico. Ele não foi sequestrado", afirmou o vice-secretário-geral. Ele estava voltando para seu hotel após parar um café para pedir informações sobre como chegar ao hotel." Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaenviadoONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.