ONU diz que iniciativa contra mudança climática ganha força

A ONU afirma que o apoio a novasiniciativas de longo prazo para o combate ao aquecimento globalvêm ganhando força e um encontro sobre o clima que começa nestasegunda-feira em Viena pode ser "um teste crucial". Cerca de mil representantes de mais de cem países vão tomarparte das negociações entre 27 e 31 de agosto. Buscarão umconsenso entre nações industrializadas que se comprometeram aum limite de emissões até 2012 no Protocolo de Kyoto e outrasque não aderiram, lideradas pelos EUA e a China, os doismaiores poluidores da atmosfera. "O apoio está crescendo" para uma ação global, disse Yvo deBoer, principal diplomata da ONU na questão da mudançaclimática. "E Viena será crucial". "A próxima semana nos indicará se a comunidade políticaestá disposta a ultrapassar os lugares-comuns bem intencionadose adotar negociações verdadeiras", declarou. "A luta contra a mudança climática precisa ser expandida",disse o ministro do Meio Ambiente austríaco, Josef Proell,elogiando a disposição dos EUA em tomar parte de um acordo delongo prazo da ONU para reduzir as emissões de combustíveisfósseis. Os participantes do encontro vão tentar romper um impassediplomático para permitir que os ministros do Meio Ambientecheguem a um acordo em dezembro em Bali, na Indonésia, quepermitiria o lançamento de negociações formais por dois anospara definir cortes nas emissões de gases causadores do efeitoestufa. As chances de um acordo em Bali aumentaram após relatóriosda ONU este ano terem culpado as atividades humanas, lideradaspelo consumo de combustíveis fósseis, pelas mudanças climáticasque podem trazer ainda mais graves ondas de calor, secas,erosão, degelo de geleiras e o aumento do nível dos oceanos. O presidente George W. Bush, que se opõe ao Protocolo deKyoto, concordou com seus aliados industriais em junho sobre anecessidade de "cortes substanciais" nas emissões degases-estufa. Ainda não está claro o que significa"substanciais" para Washington.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.