ONU diz que mais de 100 pessoas morreram na Tunísia

A Alta Comissária da Organização das Nações Unidas (ONU) para Direitos Humanos, Navi Pillay, disse que mais de 100 pessoas morreram durante os distúrbios na Tunísia. Ela também declarou hoje, no escritório europeu da ONU, que vai enviar um grupo para a Tunísia para investigar as mortes e que "abusos aos direitos humanos estão no centro dos problemas da Tunísia".

AE, Agência Estado

19 de janeiro de 2011 | 15h37

Segundo Pillay, seu escritório recebeu informações sobre mais de 100 mortes nas últimas cinco semanas "como resultado incêndios, suicídios de protesto e distúrbios em prisões no final de semana". Ela disse que vai pedir ao grupo de investigadores que volte com um projeto para combater os abusos no país.

O comunicado foi feito enquanto o governo suíço toma medidas para congelar os bens do ex-presidente tunisiano Zine El Abidine Ben Ali e de cerca de 40 pessoas de seu círculo mais próximo. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUTunísiamortesdistúrbios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.