ONU diz que massacre no Congo foi ''genocídio''

O Exército ruandês e seus aliados rebeldes da República Democrática do Congo (ex-Zaire), hoje no poder, cometeram na década de 90 vários massacres contra 1 milhão de hutus em território congolês que poderiam ser classificados como genocídio, segundo um relatório preliminar da ONU publicado ontem pelo jornal francês Le Monde. Em resposta, o presidente de Ruanda, Paul Kagame, ameaça retirar seus soldados da missão de pacificação em Darfur (Sudão), patrocinada pela ONU, caso o relatório com a acusação de genocídio seja oficialmente divulgado.

, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.