Manuel Elias/AP
Manuel Elias/AP

ONU diz que mundo enfrenta maior crise humanitária desde 1945

Chefe de Direitos Humanos da entidade afirmou que 'sem esforços globais coletivos e coordenados, as pessoas simplesmente irão morrer de fome'

O Estado de S.Paulo

11 de março de 2017 | 15h20

NAÇÕES UNIDAS - O mundo enfrenta a maior crise humanitária desde a fundação das Nações Unidas, em 1945, com mais de 20 milhões de pessoas em quatro países enfrentando fome, disse o chefe humanitrário da ONU, Stephen O'Brien, na sexta-feira 10.

Falando ao Conselho de Segurança da ONU, O'Brien afirmou que "sem esforços globais coletivos e coordenados, as pessoas simplesmente irão morrer de fome" e "muitos mais sofrerão e morrerão com doenças".

Ele pediu uma injeção de fundos imediata para o Iêmen, Sudão do Sul, Somália e para o nordeste da Nigéria, além de um acesso seguro e sem impedimentos à ajuda humanitária "para evitar uma catastrofe". "Para ser preciso, precisamos de US$ 4,4 bilhões até julho", disse.

Segundo O'Brien, sem uma grande infusão de dinheiro, as crianças sofrerão graves casos de desnutrição, sem a capacidade de ir para escolas, com ganhos no desenvolvimento econômico sendo revertidos e "meios de subsistência e esperança serão perdidos". /ASSOCIATED PRESS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.