ONU diz que precisa de US$ 123 milhões para ajudar Iraque

O secretário-geral da Organizações das Nações Unidas (ONU), Kofi Annan, disse perante o Conselho de Segurança da entidade que quase um milhão de crianças iraquianas sofrem de desnutrição crônica, que a população do país depende de ajuda alimentar do exterior e que há 20 anos o Iraque sofre com guerras e sanções severas. Ele previu que a guerra agravará essas condições, conduzindo a fome e epidemias. Ele disse que as Nações Unidas vinham se preparando para uma emergência desse tipo, mas que tais preparativos exigem doações de US$ 123,5 milhões, mas que até o momento só obteve a promessa de US$ 45 milhões, dos quais foram recebidos US$ 34 milhões.O secretário geral sustentou que a responsabilidade pela tragédia recai sobre o Estado beligerante e sobre a potência que realizar a ocupação do país. Hoje, os chanceleres da França, Rússia e da Alemanha se reuniram no Conselho de Segurança para tratar da crise iraquiana mas, com a ausência do representante dos Estados Unidos e faltando poucas horas para o fim do ultimato americano a Saddam Hussein, a reunião acabou se revestindo de caráter meramente simbólico.Inicialmente, o encontro deveria discutir o plano do chefe dos inspetores de armas das Nações Unidas, Hans Blix, para os trabalhos de sua equipe, mas as inspeções no Iraque acabaram suspensas e os especialistas foram retirados do Iraque. O noticiário até 18/3/2003Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.