ONU é acusada de matar estudante no Timor Leste

Um estudante morreu neste domingo em Díli durante osviolentos enfrentamentos ocorridos entre gangues de jovens rivais. Mas a família tenha acusa a Polícia das Nações Unidas (UNPOL) de ter matado o jovem.A vítima foi identificada como Sebastião Pinto, de 24 anos, e era aluno da Universidade Nacional do Timor.O rapaz morreu no Hospital Nacional de Díli após ser internado em estado grave. Fontes da ONU informaram à imprensa que o jovem foi atingido pelos disparos de uma das gangues que se enfrentavam.No entanto, o irmão da vítima disse que o estudante morreupor causa dos disparos efetuados por um grupo de agentes de Bangladesh integrados na UNPOL."Vi com meus próprios olhos vários oficiais da polícia deBangladesh dispararem e matarem meu irmão", declarou Raimundo dos Reis Pinto.Fontes do Hospital Nacional de Díli informaram que no centro estão internados outros dois jovens que ficaram feridos nos mesmos fatos, apesar de não especificarem se eles possuem ferimentos de bala.Os choques aconteceram nas imediações da mesquita de Díli entre gangues conhecidas como "ninjas", por sua afiliação a diversos clubes de artes marciais da capital timorense.A UNPOL assumiu as funções de segurança em Díli, em agosto, para acabar com a onda de violência surgida três meses antes, e que deixou o país à beira de uma guerra civil. Desde então, 1.147 pessoas foram presas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.