ONU e Irã querem resolver questão nuclear pela via diplomática

O representante russo para o Conselho Segurança da ONU e o principal negociador nuclear do governo iraniano disseram, após uma reunião a portas fechadas em Moscou, que a questão nuclear iraniana deve ser resolvida pela via diplomática, dentro da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).O Irã removeu os lacres da AIEA no dia 10 de janeiro, acabando com uma moratória de 15 meses, e anunciou que iria recomeçar os experimentos incluindo, como foi descrito, o enriquecimento de Urânio em pequena escala. A ação fez com que negociadores da Alemanha, Grã-Bretanha e França convocassem uma reunião de emergência no dia 2 de fevereiro.As conversas entre o funcionário iraniano Ali Larijani e o representante russo Igor Ivanov acontecem após o Irã ter ameaçado colocar força total em seu programa de enriquecimento de urânio caso o assunto fosse levado para o Conselho de Segurança.Em matéria publicada em seu site, a Agência de Notícias da República Islâmica - órgão de imprensa ligado ao governo iraniano - informou que Ivanov propôs novas negociações para um acordo de cooperação nuclear para fins pacíficos entre os dois países.Ao fim da reunião, o escritório de Ivanov publicou uma pequena nota dizendo que "os dois lados expressaram o desejo de resolver a questão pela via diplomática, a partir da estrutura da AIEA"Moscou propôs fazer o enriquecimento de urânio do Irã em seu território, e depois devolvê-lo para que o Irã use o material em seus reatores, um compromisso que poderia aliviar as tensões. As negociações continuam, e agora o Teerã incluiu a China no processo de enriquecimento. Mas um grupo de cientistas falaram que o enriquecimento de urânio do Irã feito na Rússia, ou em qualquer outro lugar, não impede que depois o material possa ser usado por Teerã para construir armas nucleares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.