ONU e Iraque acertam volta dos inspetores de armas

O inspetor-chefe de armamentos da ONU, Hans Blix, anunciou hoje que representantes da organização e do Iraque chegaram a um acordo preliminar para o retorno dos inspetores internacionais ao país. "Eles aceitaram todos os direitos de inspeção que estão previstos nas resoluções anteriores que autorizam as inspeções da ONU", disse Blix. "Ficou esclarecido que todos os locais estão sujeitos a acesso imediato, incondicional e irrestrito?. Segundo o Iraque, uma equipe avançada de inspetores chegará a Bagdá em duas semanas. Ele acrescentou que "o memorando de entendimento de 1998 estabelece, no entanto, procedimentos especiais para o acesso a oito locais presidenciais". Segundo o principal representante do Iraque na reunião, Amir al-Sadi, a questão de inspeções de surpresa nos palácios presidenciais de Saddam Hussein (uma das exigências dos EUA) "não eram um dos temas da agenda".Indagado sobre se os inspetores internacionais terão acesso aos palácios presidenciais, Al-Sadi disse que essas visitas seriam regulamentadas por um acordo entre ONU e Iraque concluído há quatro anos, que prevêem aviso prévio e a presença de diplomatas internacionais."Isso é regulamentado por um memorando de entendimento e também há referências a isso nas resoluções do Conselho de Segurança, que continuam válidas", disse o diplomata iraquiano. Segundo Blix, os representantes do Iraque deram aos da ONU quatro CD-Roms contendo os relatórios de monitoração de locais suspeitos de conterem armas de destruição em massa ou meios para a sua produção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.