ONU espera alimentar 1,5 milhão de sírios até meados de 2013

O Programa Mundial de Alimentos (PMA) disse nesta terça-feira que planeja continuar fornecendo alimentos para 1,5 milhão de pessoas na Síria até pelo menos junho de 2013, num sinal de que a agência da ONU prevê a continuidade da guerra civil e da fome no país.

Reuters

23 de outubro de 2012 | 18h01

O PMA decidiu meses atrás que tentaria ajudar 1,5 milhão de sírios, e o objetivo foi atingido em setembro, depois de 850 mil pessoas terem recebido comida no mês anterior.

"Esse é um volume recorde", disse à Reuters, em Genebra, o diretor regional do PMA para Oriente Médio, Norte da África, Ásia Central e Leste Europeu, Daly Belgasmi.

Segundo ele, a meta de manter o auxílio a 1,5 milhão de sírios até junho será bancada por um novo apelo humanitário a ser lançado em janeiro. Antes da guerra civil, há 19 meses, a Síria tinha uma população de 22 milhões de habitantes.

Belgasmi disse que não há informações sobre estoques alimentícios do governo sírio, mas que o abastecimento de combustível para cozinha e calefação é preocupante às vésperas do inverno, especialmente porque se estima que 1,2 milhão de pessoas tenham ficado desabrigadas pelo conflito.

O funcionário conversou nesta semana com autoridades sírias em Damasco, e disse que a ONU não enfrentará restrições para distribuir ajuda.

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

Tudo o que sabemos sobre:
ONUSIRIAALIMENTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.