ONU estende programa com Iraque por cinco meses

Em uma vitória de Bagdá, o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou, nesta terça-feira, a extensão, por cinco meses, do programa de ajuda humanitária ao Iraque. A Grã-Bretanha e os Estados Unidos desistiram de um plano para revisar as sanções contra o Iraque para evitar um veto da Rússia. A votação final sobre a extensão do programa de troca de petróleo por comida foi atrasada quando a Rússia posicionou-se contra uma referência ao plano anglo-americano na resolução. Mas Moscou concordou eventualmente em mencionar uma resolução de 1º de junho, que expressa a intenção do conselho de considerar os elementos na revisão das sanções. O conselho votou quando faltavam menos de seis horas do prazo final de meia-noite da atual fase do programa de quatro anos e meio. O plano permite ao Iraque a venda de petróleo sob a condição de que o dinheiro proveniente dos lucros seja investido na compra de alimentos, medicamentos e outros produtos de primeira necessidade. O debate final da resolução ocorreu em meio ao burburinho nos corredores da ONU causado pelos pedidos de asilo nos EUA de dois diplomatas da missão iraquiana nas Nações Unidas. A informação foi confirmada por fontes diplomátocas e policiais. Os diplomatas iraquianos, que cumpriram seus mandatos na ONU, pediram asilo para eles e seus familiares, de acordo com as informações fornecidas sob condição de anonimato pelas fontes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.