ONU estende programa para o Iraque

O vice-primeiro-ministro do Iraque, Tareq Aziz, comunicou nesta sexta-feira aos embaixadores da Rússia, China e Tunísia a oposição do governo de Bagdá à extensão por um mês do programa de petróleo por alimentos, patrocinado pelas Nações Unidas.Os 15 membros do Conselho de Segurança da ONU concordaram nesta sexta em estender o programa para analisar com mais tempo a proposta britânica sobre "sanções inteligentes". Tendo falhado na obtenção de uma aprovação rápida para a proposta britânica, os países de língua inglesa do conselho apresentaram algo que pudesse ser aceito pelas outras três forças: Rússia, França e China. A proposta de extensão do programa foi aprovada por unanimidade. O atual programa petróleo por comida, que expirará no próximo domingo, é renovável por até seis meses e constitui uma exceção nos 11 anos de sanções da ONU contra o Iraque, impostas desde que este país invadiu o Kuwait. A proposta britânica, que tem o apoio norte-americano, visa liberar o fluxo de mercadorias destinadas à população civil iraquiana, ao mesmo tempo em que torna mais estrito o controle de material militar.Ela também permite vôos comerciais e de carga para dentro e para fora do Iraque, caso sejam inspecionados em pontos estipulados pela ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.