ONU estima que 1.332 iraquianos morreram em julho na luta contra Estado Islâmico

Dados mostram que número de feridos no mês passado foi de 2.108 pessoas

Estadão Conteúdo

01 de agosto de 2015 | 09h41

A Organização das Nações Unidas (ONU) informou neste sábado que pelo menos 1.332 iraquianos foram mortos em atos de violência em julho, em meio à guerra contra o grupo Estado Islâmico. Segundo os dados da ONU, foram vítimas 844 civis e 488 membros das forças de segurança do Iraque e milícias pró-governo. O número de feridos no mês passado foi de 2.108 pessoas.

Os números ficaram pouco abaixo dos registrados em junho, quando 1.466 iraquianos morreram e 1.687 ficaram feridos. As estatísticas não incluem cerca de um terço do território do país, que atualmente é ocupado pelo Estado Islâmico em seu califado autodeclarado. A ONU também afirma que não foi possível verificar informações de mais vítimas fatais que deixaram seus lares e sofreram efeitos secundários da violência, como falta d''água, alimentos, medicamentos e atendimento médico.

Neste sábado, dois atentados ocorreram em Bagdá, capital do país. Uma explosão em um mercado de rua no bairro de Rashidiyah deixou três mortos e feriu 11 pessoas. Já no subúrbio ao sul da cidade, outra bomba matou três pessoas e deixou nove feridos, segundo a polícia. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUIraquevítimasEstado Islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.