ONU estima que 3,5 milhões de crianças correm risco de infecção após enchentes

PAQUISTÃO

, O Estado de S.Paulo

17 de agosto de 2010 | 00h00

A ONU alertou ontem que até 3,5 milhões de crianças paquistanesas, que sobreviveram às enchentes no país, correm agora o risco de contrair doenças associadas às águas, como diarreia, disenteria e cólera. A estimativa foi feita pela Unicef, que acredita que pelo menos 6 milhões de crianças foram afetadas pelas inundações. A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou que está se preparando para uma possível epidemia de cólera no país. De acordo com o governo paquistanês, cerca de 20 milhões de pessoas foram afetadas pelas inundações e pelo menos 1,5 mil morreram. Mais de duas semanas após o início das fortes chuvas que arrasaram o país, muitos paquistaneses estão frustrados pela lentidão na resposta das autoridades à crise. No fim de semana, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, visitou o Paquistão e afirmou que as enchentes são o pior desastre que ele já viu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.