ONU estima que conflito deixará 700 mil refugiados

O conflito no Mali ameaça deixar mais 700 mil deslocados, com cerca de 400 mil sendo obrigados a cruzar as fronteiras para países vizinhos. O alerta é da ONU, que rejeita as afirmações otimistas dos governos europeus de que a crise pode ser resolvida no curto prazo e revela sérias violações de direitos humanos cometidas tanto pelos grupos islâmicos quanto pelo Exército do Mali.

O Estado de S.Paulo

19 de janeiro de 2013 | 02h04

As acusações serão enviadas ao Tribunal Penal Internacional, em Haia, entre elas a de uso de crianças de 10 anos em combates. Antes mesmo da nova fase do conflito, cerca de 377 mil pessoas no Mali deixaram suas casas - 147 mil já estariam no exterior, principalmente no Níger e na Mauritânia.

"A escalada no conflito nos faz prever que, nos próximos meses, o número de refugiados aumentará consideravelmente", disse Melissa Fleming, porta-voz do Alto Comissariado da ONU para Refugiados. Nos últimos oito dias, pelo menos 2,7 mil pessoas cruzaram as fronteiras para os países vizinhos e outros 30 mil buscaram locais mais seguros, dentro do Mali. / JAMIL CHADE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.