ONU exige investigação sobre massacre na Guiné

O Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU) condenou hoje o massacre de mais de 150 manifestantes pró-democracia em Conacri, capital da Guiné, e exigiu a realização de uma investigação independente para apurar as responsabilidades pelo episódio.

AE-AP, Agencia Estado

30 de setembro de 2009 | 19h33

"Os membros do conselho conclamam as autoridades de Guiné a acabar sem demora com a violência, levar os responsáveis à justiça, libertar todos os prisioneiros políticos e líderes oposicionistas e reimplementar o império da lei e da democracia até as eleições marcadas para 2010", disse a embaixadora americana Susan Rice, a atual presidente do conselho.

Rice qualificou a repressão de segunda-feira a uma manifestação pró-democracia como uma ameaça à segurança regional do oeste da África e disse que o Conselho de Segurança da ONU "continuará acompanhando de perto a situação".

Tudo o que sabemos sobre:
GuinéprotestosONUconselhomortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.