ONU exige investigação sobre mortes no Sri Lanka

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) exige a realização de uma investigação independente sobre as atrocidades cometidas durante a guerra civil no Sri Lanka. Navi Pillay, a alta comissária da Organização das Nações Unidas (ONU) para refugiados, recomendou ao Conselho de Direitos Humanos da entidade que tanto o governo cingalês quanto os rebeldes tâmeis sejam investigados pelo grande número de civis mortos desde dezembro do ano passado.

AE-AP, Agencia Estado

26 de maio de 2009 | 12h07

Pillay disse hoje em Genebra, na Suíça, que o governo do Sri Lanka tem a obrigação de respeitar as leis humanitárias mesmo quando protegendo a população de atividades consideradas "terroristas". O embaixador cingalês na ONU, Dayan Jayatilleka, qualificou como "ultrajante" a recomendação para que o governo também seja investigado. Segundo ele, tal recomendação equivale a pedir que os aliados da Segunda Guerra Mundial aceitassem um tribunal por crimes de guerra pelas bombas atômicas despejadas sobre o Japão.

Tudo o que sabemos sobre:
Sri LankaONUinvestigação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.