ONU exige respeito à Embaixada do Brasil em Honduras

Conselho de Segurança condena atos de intimidação e pede que governo de facto respeite lei internacional

Agencia Estado

25 de setembro de 2009 | 15h12

O Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU) exigiu hoje que o governo de facto de Honduras respeite a inviolabilidade da Embaixada do Brasil em Tegucigalpa, capital do país. A embaixadora dos Estados Unidos na entidade, Susan Rice, pediu ao governo do presidente de facto, Roberto Micheletti, que respeite a lei internacional e proteja a embaixada.

"O Conselho de Segurança condena os atos de intimidação contra a embaixada brasileira e pede ao governo de facto de Honduras que deixe de fustigar a embaixada e ofereça todos os serviços necessários, como água corrente, eletricidade, comida e o restabelecimento das comunicações", afirmou Rice após a reunião. "O respeito e a proteção da inviolabilidade do solo diplomático é um princípio universal aceito da lei internacional."

O presidente deposto hondurenho, Manuel Zelaya, retornou na segunda-feira ao país e, desde então, está abrigado na embaixada do País. O ministro de Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, pediu a reunião de urgência, na qual denunciou que a Embaixada do Brasil em Honduras está "sob assédio".

Tudo o que sabemos sobre:
HondurascriseONUEmbaixada do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.