ONU expressa ´profunda preocupação´ com Israel e Líbano

O Conselho de Segurança da ONU e o secretário-geral, Ban Ki-Moon, manifestaram na quinta-feira "profunda preocupação" com um confronto ocorrido na fronteira entre Israel e Líbano, pedindo moderação a ambos os países.Soldados trocaram disparos na quarta-feira, depois que militares libaneses deram tiros para o alto ao ver uma patrulha israelense cruzando uma cerca perto da fronteira, procurando por explosivos deixados por guerrilheiros do Hezbollah. Não houve feridos.Foi o primeiro confronto desse tipo desde que o Líbano enviou forças regulares para a região da fronteira, como parte do cessar-fogo mediado pela ONU que encerrou os 34 dias de guerra entre Israel e o Hezbollah no ano passado. Desde então, a região permanecia tranqüila. "Os membros do Conselho de Segurança manifestaram profunda preocupação com este incidente", disse nota do Conselho, acrescentando que todas as partes devem "exercer a máxima moderação e evitar ações que possam escalar ainda mais a situação".A nota, divulgada após a França manifestar inquietação com o incidente, também reiterou o apelo pela total implementação da resolução 1701 do Conselho, adotada em 11 de agosto, que estabelecia os termos da trégua - envio de uma força internacional extra de 13 mil soldados para ajudar o Líbano a vigiar o território desocupado por Israel. "O secretário-geral pede a todas as partes que exerçam o máximo de moderação, evitem ações provocativas e demonstrem responsabilidade em implementar a resolução 1701", disse Michele Montas, porta-voz de Ban Ki-Moon.Israel ordenou revistas na área onde ocorreu o tiroteio de quarta-feira, depois da descoberta de quatro explosivos ali na segunda-feira. Autoridades israelenses acusaram o Hezbollah de ter plantado as bombas recentemente, mas o grupo se justifica dizendo que elas foram colocadas durante a guerra de julho-agosto de 2006.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.