ONU faz 'minuto de silêncio' pelo ex-líder da Coreia do Norte, Kim Jong-il

EUA, países da UE e o Japão estiveram entre os membros que boicotaram a homenagem a Kim

Louis Charbonneau, REUTERS

22 de dezembro de 2011 | 20h01

NOVA YORK - A Assembleia Geral da ONU acatou na quinta-feira um pedido da Coreia do Norte e fez um instante de silêncio para homenagear o dirigente nacional Kim Jong-il, que morreu no sábado. Delegações ocidentais boicotaram a homenagem.

Nassir Abdulaziz Al-Nasser, presidente da Assembleia, que reúne 193 países, pediu um "minuto de silêncio" antes do início de uma reunião ordinária, às 15h (18h em Brasília), quando o plenário estava semivazio.

"É meu triste dever prestar um tributo à memória do falecido Kim Jong-il, secretário geral do Partido dos Trabalhadores da Coreia, presidente da Comissão Nacional de Defesa da República Democrática Popular da Coreia e comandante supremo do Exército Popular Coreano, que faleceu no sábado, 17 de dezembro", afirmou.

Mas o "minuto de silêncio" durou apenas 25 segundos, e então Nasser deu prosseguimento à pauta. Os EUA, países da União Europeia e o Japão estiveram entre os países que boicotaram a homenagem a Kim.

A missão norte-coreana na ONU fez um pedido semelhante ao Conselho de Segurança, mas diplomatas ocidentais disseram que ele foi rejeitado. "Não achamos que fosse apropriado", disse um diplomata à Reuters, pedindo anonimato.

Vários diplomatas ocidentais disseram que o pedido norte-coreano de homenagem ao líder é altamente excepcional. Eles manifestaram surpresa com o fato de Nassir ter aceitado prestar a homenagem.

Tudo o que sabemos sobre:
Kim Jong-ilCoreia do NorteONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.