ONU faz reunião para examinar programa nuclear do Irã

AIEA terá as atenções voltadas para a expansão do enriquecimento de urânio

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 02h48

O Irã tem enfrentado fortes censuras em relação a sua atividade nuclear e uma reunião da Organização das Nações Unidas (ONU) esta semana servirá de termômetro para as expectativas sobre maiores sanções contra o país. A sessão regular de junho na Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), composta por 35 nações e que começa nesta segunda-feira, terá as atenções voltadas para a rápida expansão do programa de enriquecimento de urânio do Irã e a redução da colaboração do país com inspetores da agência. Os Estados Unidos e os principais aliados suspeitam que o Irã esteja buscando meios de construir bombas atômicas usando como fachada um programa civil de energia nuclear. Já o Irã disse que deseja apenas produzir eletricidade através do enriquecimento, mas impediu investigações da AIEA por anos. "As censuras ao Irã serão mais fortes que antes pelo país estender seu programa de enriquecimento e reduzir a cooperação. Isto não é um bom sinal. O impasse ficará pior", disse um diplomata asiático. Em 23 de maio, um inspetor da AIEA informou que o Irã não só ignorou o prazo da ONU para suspender o enriquecimento de urânio como também obteve grandes avanços em seu programa desde o início deste ano. Um membro da ONU afirmou que o país tem no momento 2 mil centrífugas e está caminhando para chegar a 3 mil no próximo mês, o que produziria urânio enriquecido suficiente para a fabricação de uma bomba atômica em um ano. No entanto, o Irã alegou que enriquece urânio em baixa escala para reatores de energia, e não o necessário para bombas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.