ONU fecha escritório no Sri Lanka e chama coordenador

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, fechou hoje o escritório da entidade no Sri Lanka e chamou de volta para Nova York Neil Buhne, o principal funcionário do órgão no país. A decisão ocorreu por causa de um impasse, já que a ONU se recusa a interromper as investigações sobre supostos abusos cometidos durante a guerra civil no Sri Lanka.

AE-AP, Agência Estado

08 de julho de 2010 | 19h36

Para Ban, é "inaceitável que autoridades do Sri Lanka tenham fracassado em evitar a interrupção do funcionamento normal dos escritórios das Nações Unidas em Colombo como resultado de protestos incontroláveis organizados e liderados por ministros do gabinete do governo", disse o porta-voz associado da ONU, Farhan Haq.

A ONU estima que mais de 7 mil civis tâmeis étnicos tenham sido mortos nos últimos cinco meses dos confrontos, que terminaram no ano passado, pondo fim a uma guerra de 25 anos contra a maioria cingalesa da ilha. Grupos de direitos humanos acusam as forças do governo e os rebeldes do Exército de Libertação dos Tigres do Tâmil Eelam de deliberadamente atacarem civis.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUSri Lankaescritóriofechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.