ONU: grupos armados do Congo têm formado gangues

A Organização das Nações Unidas (ONU) afirmaram que grupos armados no instável leste do Congo, incluindo o Exército, têm ignorado os esforços internacionais por reforma e acabam formando redes criminosas para explorar as riquezas minerais do país.

AE, Agência Estado

29 de novembro de 2010 | 15h27

Um relatório divulgado hoje pela ONU afirma que as unidades armadas têm feito isso apesar dos recentes esforços para desarmar milícias ilegais e reformar o Exército. O relatório afirma que o Exército até formou uma gangue criminosa, e que rebeldes hutus liderados por ruandeses no Congo em 2008 tentaram vender seis latas do que eles diziam ser urânio enriquecido, mas não encontraram um comprador.

O leste do Congo tem sido assolado pela violência desde o genocídio de 1994, em Ruanda, que espraiou a tensão pela fronteira. As milícias hutus participaram dos massacres de mais de 500 mil tutsis e de hutus moderados que buscavam refúgio no território congolês. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
crimeviolênciaONUCongo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.