ONU impõe sanções a Gbagbo na Costa do Marfim

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou por unanimidade uma resolução na qual exige o fim imediato da violência na Costa do Marfim e impõe sanções a Laurent Gbagbo, que recusa-se a ceder o poder apesar de ter sido derrotados nas eleições de novembro do ano passado.

AE, Agência Estado

30 Março 2011 | 19h32

A votação ocorre cinco dias depois de França e Nigéria terem apresentado uma proposta de resolução manifestando "grave preocupação" com a possibilidade da Costa do Marfim voltar a ter uma guerra civil, apenas alguns anos depois de ter saído de uma situação similar que devastou a nação.

A resolução conclama todas as partes em conflito a respeitarem a vitória de Alassane Ouattara nas eleições presidenciais de 2010. O texto condena a decisão de Gbagbo de não aceitar a derrota nas urnas e conclama Gbagbo a "afastar-se imediatamente". O documento impõe uma restrição a viagens e o congelamento dos bens de Gbagbo, de sua esposa e de três importantes assessores.

Hoje, forças leias a Ouattara tomaram a capital política do país, Yamoussoukro. O líder opositor deu a Gbagbo "horas" para ele abandonar o poder. "O tempo de diálogos e armistícios acabou", decretou o braço direito de Ouattara, Guillaume Soro. Gbagbo encontra-se na cidade de Abidjã, para onde rumam as tropas da oposição. Cinco meses de tensão deixaram cerca de 500 mortos e 1 milhão de refugiados na Costa do Marfim. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.