ONU indicia 15 soldados por crimes no Timor Leste

A Organização das Nações Unidas (ONU) indiciou nesta terça-feira 32 pessoas - entre elas 15 soldados indonésios - por supostos atos de tortura e assassinato ocorridos no Timor Leste, durante sua sangrenta separação da Indonésia, em 1999. Este foi o mais amplo indiciamento feito por esta Unidade Especial de Crimes da ONU. A lista de suspeitos inclui quatro oficiais indonésios e João Tavares, chefe de uma milícia pró-Indonésia. Todos os 32 são acusados de crimes contra a humanidade por supostos atos de violência cometidos na época de um referendo sobre a independência da ex-colônia portuguesa, anexada pela indonésia nos anos 70. O referendo foi promovido pela ONU em 1999. O indiciamento da ONU contradiz a promotoria indonésia, segundo a qual o Exército não participou ativamente do derramamento de sangue, mas também não evitou a violência que levou à morte de 2.000 pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.