ONU inicia transferência de poderes à Polícia do Timor-Leste

Atual mandato das Nações Unidas no país, de um ano de duração, termina no dia 26 de fevereiro

EFE

05 de fevereiro de 2008 | 05h41

A Polícia das Nações Unidas no Timor-Leste (UNPol) começou nesta terça-feira a transferir suas competências às forças de segurança locais, entregando três delegacias na capital, Díli, informou o organismo multilateral. A transferência é um marco transcendental para o desenvolvimento da Polícia do jovem país, segundo um comunicado de Atul Khare, representante especial do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Khare disse que é essencial que os próprios timorenses, ajudados pela comunidade internacional, possam assumir sua responsabilidade neste sentido para a paz, estabilidade e desenvolvimento da nação. O chefe da Polícia da ONU no Timor-Leste, Rudolfo Tor, disse à "Radio Australia" que esta é a primeira transferência de responsabilidades desde a onda de violência que começou em maio de 2006. "Não se trata de uma transferência total das responsabilidades estipuladas no acordo entre a ONU e o Governo, mas é o início da cessão do espaço operacional, para que a Polícia do Timor-Leste assuma o trabalho policial em áreas que onde isto é possível", disse Tor. A transferência marca a retirada gradual dos contingentes policiais enviados por diversos países ao Timor-Leste. Uma força multinacional de aproximadamente 1.500 soldados liderada pela Austrália e as Nações Unidas foi desdobrada no Timor-Leste em meados de 2006 para garantir a segurança depois da onda de violência que deixou 37 mortos e milhares de deslocados. O atual mandato da Missão Integrada das Nações Unidas no Timor-Leste (Unmit), de um ano de duração, está previsto para terminar no dia 26 de fevereiro, mas o Conselho de Segurança estuda estendê-lo.

Mais conteúdo sobre:
TimorONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.