ONU investiga antiga fábrica de agrotóxicos no Iraque

Inspetores de armas da ONU visitaram neste domingo um campo de pouso a norte de Bagdá, num local onde especialistas iraquianos teriam projetado artefatos para disseminar armas químicas e bacteriológicas. A verificação do complexo em Khan Bani Sa´ad, a 30 quilômetros da capital iraquiana, durou cerca de quatro horas. Os inspetores mantiveram em segredo o resultado da inspeção e só se manifestarão em relatórios formais.Os especialistas da ONU analisaram equipamentos selados pelas equipes de inspeção que passaram pelo país durante a década de 90, disse o diretor do campo de pouso, Montadhar Radeef Mohammed. Aparentemente os investigadores não encontraram o que procuravam. "Nós mostramos tudo a eles", disse Mohammed.Antes da Guerra do Golfo, em 1991, a base de "aviação agrícola" funcionou como um centro de desenvolvimento do "sistema Zubaidi" de disseminação de substâncias químicas e bacteriológicas tóxicas por aviões ou helicópteros.O Iraque assegurou ter abandonado essas pesquisas, mas o governo britânico o acusou, em setembro passado, de ter a intenção de conservar o potencial de dispersão aérea desse material para fins militares.Um veículo da equipe de inspeção foi estacionado de forma a fechar o portão principal do complexo, para impedir a entrada e a saída de funcionários. O complexo, subordinado ao Ministério da Agricultura, é formado por uma série de prédios baixos diante dos quais estavam estacionados helicópteros de fumigação de pesticidas, inseticidas e herbicidas.Os 100 hectares do local já foram vigiados no passado pelo sistema de controle da UNSCOM, a extinta equipe de inspeção da ONU que primeiro foi encarregada do desarmamento do Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.