ONU investiga se soldados da Minustah trouxeram cólera ao Haiti

Doença matou mais de 300; agências humanitárias temem que surto chegue à capital

BBC

29 de outubro de 2010 | 08h39

PORTO PRÍNCIPE - A Organização das Nações Unidas (ONU) está investigando suspeitas de que o surto de cólera que atingiu o Haiti tenha sido causado por soldados da missão de paz da organização no país, a Minustah.

 

Veja também:

linkPor causa de surto, Haiti muda sistema eleitoral

Testes estão sendo conduzidos na base das tropas nepalesas a serviço da ONU, após a revelação de que o tipo da doença que surgiu no Haiti nas últimas semanas é o mesmo do existente no Nepal.

A suspeita de novos casos em Porto Príncipe gerou preocupação entre as agências humanitárias, que temem uma epidemia na capital haitiana. Ao menos 303 pessoas já morreram por causa do surto de cólera no país.

A porta-voz da organização Save the Children, Sarah Jacobs, disse à BBC que 174 novos casos de cólera estão sendo investigados na área em torno de Arcahaie, um vilarejo a cerca de uma hora de Porto Príncipe.

"Os casos suspeitos estão muito mais perto da capital. Portanto, se for confirmado que se trata de cólera, significa que a doença se espalhou. E é isso que precisamos evitar", disse.

Até agora, o número de casos registrados em Porto Príncipe é muito baixo e restrito a pessoas que apanharam a doença em outras partes do país.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.