ONU mudará plano de segurança após ataque em Cabul

Em resposta ao ataque contra uma de suas principais instalações em Cabul, a Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou ontem que mudará os procedimentos de segurança que adota no Afeganistão. Pelo menos 5 funcionários da entidade morreram e 9 ficaram feridos na explosão, reivindicada pelo Taleban. "A ONU não se deixará intimidar por ataques terroristas", afirmou o secretário-geral da organização, Ban Ki-moon, em Nova York.

AE-AP, Agencia Estado

29 de outubro de 2009 | 09h53

O Taleban disse ter escolhido como alvo o dormitório usado pela ONU porque a organização está ajudando a preparar o segundo turno das eleições gerais afegãs. A votação, que os militantes tentam boicotar a qualquer custo, está marcada para o dia 7. "Continuaremos nosso trabalho e com o apoio dado ao governo afegão e às pessoas que organizam o segundo turno", afirmou Ban. O ataque começou às 6 horas, quando a maioria dos funcionários ainda dormia.

Ao todo, a troca de tiros durou cerca de duas horas. Os militantes usavam coletes com explosivos e uniformes policiais, segundo relatos de sobreviventes. Abdul Ghaim, um dos policiais que protegiam o edifício da ONU no momento do ataque, afirmou que os agressores eram paquistaneses. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUsegurançaCabul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.