ONU não afetará produção militar do Irã, diz ministro

O ministro da Defesa do Irã, Mustafa Mohamad Nayar, afirmou que a resolução da ONU, que ameaça o país com sanções se não suspender seu plano nuclear, não afetará a indústriamilitar iraniana, informou hoje a agência de notícias "Irna"."Após 29 anos da (vitória) da Revolução Islâmica, já temos uma indústria militar nacional que não necessita de ajuda estrangeira", disse Nayar.A resolução 1.737, adotada em 23 de dezembro pelos quinze membros do Conselho de Segurança da ONU, exige de Teerã que suspenda suas atividades de enriquecimento de urânio em um prazo de 60 dias.Em caso do descumprimento, o texto proíbe aos estados-membros do organismo internacional fornecer material e tecnologia que Teerã possa utilizar para seus programas nucleares e de mísseis, e estipula o congelamento dos ativos financeiros a companhias e indivíduos-chave envolvidos nos programas."Esta decisão não afetará o andamento da produção de material de combate para objetivos defensivos. Ao contrário aumentará nossa confiança para fabricar material militar avançado", insistiu o ministro.Nayar também reiterou que "os iranianos não renunciarão a seu direito" com relação ao uso da tecnologia nuclear que, segundo Teerã, tem fins puramente pacíficos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.