ONU não confirma morte de chefe no Haiti

Ban Ki Moon disse ser 'prematura' informação de que tunisiano Hedi Annabi teria morrido em terremoto que atingiu Porto Príncipe.

BBC Brasil, BBC

13 de janeiro de 2010 | 14h09

O secretário-geral da ONU, Ban Ki Moon, disse que não tem informações sobre o paradeiro do chefe da missão de paz da ONU no Haiti, o tunisiano Hédi Annabi, que tem sido dado como morto em diversos relatos sobre o terremoto que atingiu a capital do país, Porto Príncipe, na terça-feira.

"Não temos nenhuma informação precisa", disse Ban Ki Moon, pedindo cautela na circulação da informação.

"O que podemos assumir é que quando o terremoto atingiu a sede da Minustah (a missão da ONU para o país) havia cerca de cem ou 150 pessoas ainda trabalhando. Eles estavam em reuniões importantes. Ainda não estamos cientes de nenhuma informação."

A ONU disse que a informação de que Annabi teria morrido é "prematura". A fonte foi o ministro das Relações Exteriores da França, Bernard Kouchner.

"O prédio da missão de paz da ONU desmoronou e parece que todos os que estavam dentro do prédio, incluindo meu amigo Hedi Annabi, e todos aqueles que estavam com ele e à sua volta estão mortos", afirmou Kouchner à rádio francesa RTL nesta quarta-feira.

Annabi, de 65 anos, subiu à chefia da missão da Minustah no dia 1º de setembro de 2007. Antes disso, ele ocupou por dez anos a subsecretaria-adjunta da ONU para as operações de manutenção de paz.

O Brasil exerce o comando militar da Minustah, que conta com cerca de 7 mil soldados (1.266 deles brasileiros).

A força de paz da ONU no Haiti conta ainda com outros 2 mil civis.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.