ONU não recomenda diretas já no Iraque

O secretário-geral da ONU, Kofi Annan, afirmou que não recomenda a realização de eleições diretas no Iraque antes da transferência de poder para os iraquianos em 30 de junho, mas não apresentou sugestões sobre como formar um governo transitório. Ele sublinhou, entretanto, que a coalizão liderada pelos EUA deve devolver a soberania aos iraquianos em 30 de junho.Annan e seu conselheiro especial Lakhdar Brahimi falaram com jornalistas após uma reunião de 90 minutos com representantes de 45 países e da União Européia, na qual Brahimi descreveu sua visita de uma semana ao Iraque.?Compartilhamos com eles nosso entendimento - e o consenso emergente - de que eleições não poderão ocorrer antes do final de junho, que a data de 30 de julho para a transferência de soberania deve ser respeitada e que precisamos encontrar um mecanismo para criar um governo provisório e então preparar eleições... no futuro?, disse Annan.O principal líder xiita do Iraque, grão-aiatolá Ali al-Husseini al-Sistani, vem reivindicando eleições diretas, argumentando que um governo provisório não-eleito será ?ilegítimo?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.