ONU ordena retirada de funcionários da Síria

Entidade internacional realocará equipe 'não-essencial' por motivos de segurança, informa porta-voz

Associated Press

17 de agosto de 2011 | 15h55

NOVA YORK - A Organização das Nações Unidas (ONU) ordenou nesta quarta-feira, 17, a retirada temporária de parte de seus funcionários da Síria devido a preocupações com a segurança no país. De acordo com Farhan Haq, um dos porta-vozes da entidade, toda a equipe não-essencial do órgão foi realocada para outras nações.

 

Veja também:

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

 

De acordo com o porta-voz, a realocação envolveu "cerca de duas dezenas" dos quase 160 funcionários mantidos pela ONU na Síria.

 

A situação de segurança na Síria voltou a níveis críticos há cerca de um mês, quando o presidente Bashar Assad aumentou a repressão contra os protestos pró-democracia em várias cidades. Desde então, a comunidade internacional tem discutido o assunto e pressionado Damasco a cessar a violência.

 

Ajuda

 

Também nesta quarta, a subsecretária para assuntos humanitários da ONU, Valeria Amos, disse que o órgão negocia com o governo sírio o envio de uma equipe especial para avaliar as necessidades humanitárias no país. Valerie disse esperar que os enviados possam "ir logo" para o país e que as prioridades são as áreas onde há combates.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.