ONU organiza distribuição de alimentos no Haiti

O Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas anunciou hoje que iniciou seu primeiro sistema de distribuição de alimentos no Haiti desde o terremoto do dia 12. O organismo abriu 16 locais na capital, Porto Príncipe, onde será distribuído alimento apenas para mulheres.

AE-AP, Agencia Estado

30 de janeiro de 2010 | 13h59

A distribuição da comida desde o violento terremoto tem se caracterizado pela pouca coordenação, por problemas no fornecimento e filas desorganizadas de pessoas com fome. São comuns os casos de homens jovens tomando alimentos de mulheres e de pessoas mais fracas.

Em comunicado, a agência afirmou que os novos escritórios instalados em Porto Príncipe pela ONU e por outras organizações de assistência garantirão um fluxo regular de alimentos e assistência humanitária para todos os necessitados.

A partir de hoje, os haitianos receberão cupons com os quais cada família poderá receber 25 quilos de arroz, segundo o PMA. A primeira distribuição começará amanhã e somente será permitido que as mulheres recebam a comida. O PMA afirmou que trabalhará com outros grupos de ajuda e as autoridades locais, para garantir que os homens necessitados não fiquem excluídos.

"Até agora, a natureza dessa emergência nos obrigou a trabalhar de modo rápido simplesmente para distribuir alimentos", afirmou a diretora-executiva do PMA, Josette Sheeran. "Esse novo sistema nos permitirá levar ajuda alimentar a mais gente e mais rapidamente."

A ONU pretende ajudar mais de dois milhões de pessoas nas próximas duas semanas. Até agora, o PMA já distribuiu mais de 600 mil porções de alimento, para 600 mil pessoas. A falta de infraestrutura no Haiti, além das perdas sofridas pelas entidades de ajuda ao país durante o terremoto, dificulta a atuação da ONU. Josette qualificou a emergência haitiana como "o desafio mais complicado que já enfrentamos".

Tudo o que sabemos sobre:
HaititerremotoalimentosONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.