ONU pede à Corte de Haia que analise muro de Israel

Em uma sessão de emergência convocada por nações árabes, a Assembléia Geral da ONU aprovou, por 90 votos a oito - e 74 abstenções - uma resolução pedindo à Corte Internacional de Justiça que avalie se Israel está agindo legalmente ao construir um muro entre seu território e a Cisjordânia, abarcando terras palestinas. Israel alega que o muro visa a impedir a infiltração de extremistas em seu território, mas a Autoridade Nacional Palestina (ANP) acusa o país de anexar terras palestinas. O tribunal, com sede em Haia, não é obrigado a se pronunciar. Ariel Sharon, primeiro-ministro do Estado judeu, afirmou que seu governo cooperará com a Corte Internacional de Justiça caso uma investigação venha a ser iniciada.Por sua vez, o ministro da Justiça de Israel, Yosef Lapid, pediu a reabertura do debate sobre o traçado da barreira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.