ONU pede ao Irã "transparência" em programa nuclear

O diretor da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), vinculada à ONU, Mohamed El-Baradei, exigiu que o Irã "demonstre uma total transparência" e revele todas as suas atividades nucleares, principalmente seu programa de urânio enriquecido que, segundo os EUA, sugere um plano secreto para fabricar armas atômicas. A exigência foi feita depois que o representante iraniano na AIEA ameaçou com "conseqüências inesperadas ou surpreendentes" caso a diretoria da agência pressionasse o Irã de maneira excessiva para que permita inspeções totais em suas instalações nucleares. Em um comunicado à diretoria da AIEA, El-Baradei disse que o Irã demonstrou uma crescente cooperação, mas insuficiente para determinar a natureza das atividades nucleares do regime de Teerã. "Peço ao Irã para que mostre nas próximas semanas uma cooperação acelerada e demonstre uma total transparência, oferecendo à agência uma declaração completa e precisa de todas as suas atividades nucleares", disse El-Baradei. A diretoria da AIEA, integrada por 35 países, está reunida na seda da agência em Viena. Ela deverá exigir oficialmente que o Irã torne seu programa mais acessível e permita inspeções sem aviso prévio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.