ONU pede apuração de crimes da junta militar

O relator especial da ONU para Direitos Humanos em Mianmar, Tomás Ojea Quintana, afirmou ontem que o país asiático deve apurar crimes atribuídos à junta militar que controlou o governo do país por mais de 40 anos. Mas, segundo o investigador das Nações Unidas, nem o governo eleito em 2011 nem a coalizão opositora liderada por Aung San Suu Kyi mostram interesse em esclarecer tais delitos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.