ONU pede envolvimento de Lula na crise hondurenha

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, apelou ontem para um maior envolvimento do presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, na solução da crise política em Honduras. Ban disse que parte da crise está sendo provocada pelo comportamento de governos que tentam emendar constituições para permitir novos mandatos. Para o secretário, uma solução pacífica precisa ser encontrada e, principalmente, com a mediação de políticos da região. ?O presidente Lula precisa atuar nesse caso?, afirmou Ban. Sua ideia é que um diálogo seja estabelecido entre o governo de facto e o presidente deposto, de preferência por meio de um articulador.

AE, Agencia Estado

06 de julho de 2009 | 08h45

Ban espera que a região possa dar uma solução à crise sem a necessidade de mediadores externos. A resolução mostraria maturidade da região e compromisso com a democracia. A ONU se preocupa não apenas com o caso em Honduras, mas o sinal que envia à oposição em vários países da região.

Ontem, o governo hondurenho não autorizou o pouso do presidente deposto, Manuel Zelaya, no aeroporto da capital Tegucigalpa. Apoiadores de Zelaya entraram em confronto com a polícia e o Exército, que tentavam restringir o aceso ao local. Ao menos uma pessoa morreu eu dez ficaram feridas. Segundo informações não confirmadas, outra jovem internada em um hospital público da capital hondurenha também teria morrido. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurasgolpeONULula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.