ONU pede fim de "confronto insensível" no Oriente Médio

As Nações Unidas, os EUA, a União Européia e a Rússia pedem a Israel e aos palestinos que encerrem seu "insensível confronto", o qual está provocando uma crise humanitária e elevando a tensão na região do Oriente Médio. A declaração é resultado do encontro mantido esta manhã em Madri entre o secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, líderes da União Européia, o secretário das Nações Unidas, Kofi Annan, e o rei Carlos da Espanha. Powell deve chegar a Jerusalém na quinta-feira. A declaração, lida por Kofi Annan, pede ainda por um "imediato e significante cessar-fogo e imediata retirada de Israel das cidades palestinas, incluindo Ramallah, especialmente o quartel-general do líder palestino Yasser Arafat". O documento pede que Israel "cumpra totalmente com os princípios humanitários internacionais e permita total acesso, sem impedimentos, das organizações humanitárias e dos serviços". A autoridade palestina, acrescenta a declaração, deve tomar "todas as medidas possíveis dentro de sua capacidade" para desmontar as organizações terroristas. Antes da leitura da declaração, Annan disse: ?Estou francamente horrorizado com a situação humanitária?. A comunidade internacional pede que o governo de Israel honre sua obrigação dentro das leis humanitárias internacionais para proteger civis e que (o exército israelense) pare de prejudicar, e destruir, civis e as propriedades". Em entrevista, Colin Powell disse não terem sido discutidas sanções econômicas contra Israel. No entanto, o ministro das Relações Exteriores da Espanha, Josep Pique, também presente ao encontro, afirmou que "vários cenários serão considerados". Representantes da União Européia disseram, entretanto, ser pouco provável que uma ação nesse sentido receba aprovação de todos seus 15 países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.